sexta-feira, 10 de janeiro de 2014







LE

( LUPUS ERITEMATOSO)









O Lupus Eritematoso é uma doença inflamatória crónica de causa desconhecida.
O LE pertence a um grupo de doenças auto-imunes, em que o sistema imunitário que protege as estruturas que são estranhas ao organismo, ataca os próprios tecidos do organismo.
O LE divide-se em duas grandes categorias:

- LE cutâneo, benigno e cujas lesões se limitam exclusivamente à pele.
-LE sistémico,que atinge vários órgãos para lá da pele como articulações, rins, etc.
Embora as causas que desencadeiam  o LE sejam desconhecidas, pensa-se haver um certo carácter de hereditariedade.











INCIDÊNCIA
 
Há maior incidência em pessoas onde há membros da família como LE como pai , mãe, irmãos, etc.
A par de se pensar que existe uma predisposição genética (ainda não provada) há outros factores que influenciam a manifestação da doença, como factores ambientais (exposição à luz solar), alguns medicamentos, infecções e alterações emocionais.



LE BENIGNO CUTÂNEO

Atinge igualmente ambos os sexos e geralmente entre os 35 e 50 anos.
Provoca vermelhidão e escamação na pele, localizando-se mais frequentemente na face.Estas lesões desenvolvem-se lentamente e permanecem localizadas durante anos, sendo o prognóstico bom e não correndo risco de vida.


LE SISTÉMICO

Incide mais em mulheres jovens. Em muitos casos começa por se manifestar na pele, sendo as lesões mesnos escamosas mas mais vermelhas e por vezes na face toma uma forma de borboleta.
Estas lesões instalam-se ràpidamente e geralmente evoluem para surtos. Quando há envolvimento de órgãos vitais o prognóstico torna-se reservado podendo trazer complicações graves.





SINTOMAS

-Febre
-Perda de peso
-Falta de força

São frequentemente afectados os rins, as articulações podendo ainda também atinfir os pulmões, o coração e o sistema nervoso.








TRATAMENTO


Nas lesões cutâneas benignas, torna-se necessário fazer uma  biópsia  de um pequeno fragmento de pele. Também necessário determinar a nível sanguíneo anticorpos que são típicos desta doença, assim como exames gerais a sangue e urina e RX a diversos órgãos.
Na maioria dos doentes as lesões pioram com a exposição à luz solar sendo aconselhado o uso de protectores .





No LE cutâneo benigno o tratamento é feito à base de cremes anti-inflamatórios nas zonas afectadas.

No LE sistémico, como há atingimento de órgãos, torna-se necessário tomar medicamentos por via oral e durante bastantes tempo (anos).
Os medicamentos mais usados neste caso são os derivados da Cortisona que ajudam a minimizar a doença e por vezes até a salvar a própria vida.





DESFRUTE  SEMPRE  DA BELEZA







DE UM BELO FINAL DE TARDE





Gota de Vidro
 Foto de Edgar V



7 comentários:

São disse...

Bom conselho o de nos extasiarmos sempre face à beleza!

Bom serão

Andradarte disse...

Obrigado pela sua visita e parabéns por este Blog tão util..
Beijo

. intemporal . disse...

.

.

. uma baixa permanente de plaquetas no sangue . pode ser indicativo . mas outras doenças há . que apresentam este sintoma .

.

.

. um beijo meu . :) .

.

.

DE-PROPOSITO disse...

É bom partilharmos os conhecimentos!
Obrigado.

Que a felicidade ande por aí.
Abraço
Manuel

Fernando Santos (Chana) disse...

Excelente post....
Cumprimentos

ॐ Shirley ॐ disse...

Foi interessante saber mais sobre essa doença.
Beijos e muita paz!

helia disse...

Informações muito úteis .
Obrigada pela partilha